HISTÓRICO DA ESPM

Em 2011 foi criada na Província de Malanje, a então designada Coordenação dos Cursos de Licenciatura em Ciências da Educação, pelo despacho do Reitor da (ULAN), Universidade Luenji A’konde.

No seu primeiro ano de existência, a então designada Coordenação dos Cursos de Licenciatura, desenvolveu as suas actividades no Liceu Sagrada Esperança, partilhando as instalações com a Faculdade de Medicina de Malanje da ULAN.

A Coordenação foi constituída por:

Jutema Hebo Quitumba – Coordenador Geral

Francisco Jacucha Cahuco Kimbanda – Coordenador Adjunto para área Académica

Infeliz Carvalho Coxe – Coordenador Adjunto para área Científica

Em 2013, a referida Coordenação deu lugar à actual, Escola Superior Politécnica de Malanje. Já no dia 16 de Setembro de2 015, foi aprovado e publicado o Decreto n.º 24/16 de 18 de Dezembro que entrou em vigor no dia 31 de Dezembro de 2015, o referido diploma veio a autonomizar a ESPM, dependendo directamente do Ministério do Ensino Superior.

É ainda de sublinhar que de 2012 a 2014, a ESPM funcionou na Escola Amílcar Cabral, na referida época partilhou as instalações com esta Escola do 1.º Ciclo do Ensino Secundário.

No ano de 2015 o governo provincial de Malanje, cedeu a ESPM, uma instalação na Avenida Voanvala do Meio, Bairro da Katepa, aonde exerce as suas actividades até a data actual.

Na criação da ESPM, havia apenas duas saídas, que passaremos a sublinhar abaixo:

Pedagogia

Matemática.

No tocante à sua população estudantil era de 350 estudantes, que estavam devidamente distribuídos nas 6 salas cedidas pela Faculdade de Medicina da ULAN. Posteriormente, atendendo as deliberações do Conselho de Direcção, deu-se arranque aos Cursos de Sociologia e de Psicologia e, mas tarde, o curso de Hotelaria e Turismo. É de realçar que o curso de Hotelaria e Turismo que é assegurado por um corpo docente totalmente cubano. A ESPM, tem a possibilidade de albergar um universo de 2.738 estudante nas 19 salas existentes nas nossas instalações.

Em 2013 atendendo ás orientações do Ministério do Ensino Superior, a Escola deu arranque do período matinal, umavezque nas datas acima referidas a Escola funcionava apenas no período pós-laboral.

No arranque da ESPM, contava apenas com 18 professores,com o alargamento dos serviços, a escola passou a contar com 86 professores que asseguram o funcionamento dos dois períodos lectivos existes.

No dia 15 de Abril de 2016, foi realizada a primeira cerimónia de outorga de diplomas a 152 Licenciados, sendo 107 Pedagogia na especialidade de Inspecção e Gestão Escolar , 45 em Matemática

Tendo em conta que a ESPM foi umas das primeira IES Pública de Malanje tem tido a necessidade de crescer e de se afirmar como uma Escola Politécnica, cimentando uma relação com a cidade de Malanje e toda a Província, envolvendo-se intensamente no seu desenvolvimento;

A ESPM tem estado extremamente comprometida com o envolvimento da academia, da comunidade e com formulação de respostas para os grandes desafios educativos, sociais, ecónomos, cultuarias e ambientais contemporâneos da região em que está inserida.

Pertinência Socioeconómica e ambiental

Malanje, denominação da Província em que se encontra sediada a ESPM, é uma das 18 províncias de Angola, situa-se no norte de Angola uma altura entre 500m a 1500m, tem um clima tropical, húmido, mesotérmico e varia de 20 à 25 graus. Ao longo do ano registam-se duais estações; chuvosa (com 9 meses de duração aproximadamente) e Cacimbo (com 3 meses de duração aproximadamente).

A província tem 14 Municípios, tem uma área de 97.602 km2 e uma população de aproximadamente 968.000 habitantes, de acordo o senso de 2014.

No que tange à geoeconomia, Malanje subdivide-se em três zonas:

Planalto de Malanje

Baixa de Kassanji

Luando

A ESPM é uma Instituição de Ensino Superior pública historicamente comprometida com o desenvolvimento do País no geral e de Malanje em particular. Para consolidar tal missão, essa Escola procura disseminar suas formas de actuação em áreas geograficamente diversificadas, investindo permanentemente nas dimensões quantitativa e qualitativa dos projectos académicos, científicos, tecnológicos e culturais em andamento fase de planeamento.

Partindo da compreensão de que a Educação Superior cumpre uma função estratégica no desenvolvimento económico, social e cultural das nações, a ESPM constrói formas efectivas de cooperação institucional e multilaterais nos contextos regional, nacional e internacional. Uma das prioridades institucionais consiste na integração entre os diversos níveis e modalidades de ensino, pesquisa e extensão, em que se procuraprivilegiar os projectos e programas de maior impacto académico e social, com repercussões de carácter local, regional, nacional e internacional. A implementação dessa política advém da compreensão, pela comunidade universitária, de que a expansão do ensino superior público, gratuito e de qualidade constitui um instrumento indispensável para atenuar e, mesmo, superar situações de desigualdade social.

Voltada, principalmente, à formação de qualidade dos seus estudantes, a ESPM actua de forma comprometida com o desenvolvimento científico, tecnológico, cultural, económico e social da Província e do País. Agregada a essa missão académica, a escola assume as responsabilidades de: 1) desenhar soluções para os problemas socioeconómicos de Malanje, e de Angola; e 2) qualificar e oferecer educação permanente aos indivíduos e às comunidades das diferentes localidades que abrigam os projectos e programas. Essas acções interinstitucionais possibilitam à ESPM manter-se de portas abertas para a sociedade, numa enriquecedora troca de experiências, construindo uma rede de acções e intervenções transformadoras em áreas temáticas distintas, definidas segundo prioridades sociais regionais e nacionais.